domingo, 15 de julho de 2018

PROGRAMAÇÃO 2018

Programação sujeita à alteração.
Ingressos: R$20,00 (inteira) 

Dia 23/07 (segunda-feira)

14h - Credenciamento
Restrito às participantes e convidadas

15h - Roda de Abertura
Restrito às participantes e convidadas

21h - Espetáculo
O CASTELO DE HOLSTEBRO (DIN)
Teatro da CAIXA (SBS 04)
Ingressos diretamente na bilheteria do teatro


Dia 24/07 (terça-feira)

9h às 12h30 - Oficinas
IESB (613/614 Sul)
Restrito às participantes e convidadas

14h30 - Performances Works-in-Progress
Instituto Cervantes (707/907 Sul)
Entrada Franca 

15h30 - Fórum
A Caixa de Pandora: Festivais de Mulheres na América Latina
Instituto Cervantes (707/907 Sul)
Entrada Franca

19h - Espetáculo
ESTRELAS (BRA/SP)
Teatro da CAIXA (SBS 04)
Ingressos diretamente na bilheteria do teatro

21h - Espetáculo
A RECEITA (BRA/PE)
Teatro da CAIXA (SBS 04)
Ingressos diretamente na bilheteria do teatro

22h30 - Happy Magic Hour
Restrito às participantes e convidadas

Dia 25/07 (quarta-feira)

9h às 12h30 - Oficinas
IESB (613/614 Sul)
Restrito às participantes e convidadas

14h30 - Espetáculo/Palestra
EL HOMBRE QUE SOÑÓ PARIR UNA NIÑA POR EL OMBLIGO (COL)
Instituto Cervantes (707/907 Sul)
Entrada Franca 

15h30 - Fórum
Maria de Magdala: as Novas Masculinidades
Instituto Cervantes (707/907 Sul)
Entrada Franca

19h - Espetáculo
CANDYLAND, TIERRA DE LOBOS (COL)
Teatro da CAIXA (SBS 04)
Ingressos diretamente na bilheteria do teatro

21h - Espetáculo
LADY SWETTENHAM (MAS)
Teatro da CAIXA (SBS 04)
Ingressos diretamente na bilheteria do teatro

22h30 - Happy Magic Hour
Restrito às participantes e convidadas

Dia 26/07 (quinta-feira)

9h às 12h30 - Oficinas
IESB (613/614 Sul)
Restrito às participantes e convidadas

14h30 - Performance
PROCURANDO ZUMBI (BRA/DF)
Instituto Cervantes (707/907 Sul)
Entrada Franca 

15h - Fórum
Medéia: Escrita e Dramaturgia
Instituto Cervantes (707/907 Sul)
Entrada Franca 

16h - Espetáculo
GOTAS D'ÁGUA (BRA/RJ)
Instituto Cervantes (707/907 Sul)
Entrada Franca

19h - Espetáculo
AURORA (BRA/DF)
Teatro da CAIXA (SBS 04)
Ingressos diretamente na bilheteria do teatro

21h - Espetáculo
CAMILA, EL DIÁRIO DE UNA UTOPÍA (ECU)
Teatro da CAIXA (SBS 04)
Ingressos diretamente na bilheteria do teatro

22h30 - Happy Magic Hour
Restrito às participantes e convidadas

Dia 27/07 (sexta-feira)

9h às 12h30 - Apresentação do Resultado das Oficinas
Restrito às participantes e convidadas

14h30 - Performance
PASSARELA (COL/BRA)
Instituto Cervantes (707/907 Sul)
Entrada Franca 

15h30 - Fórum
Atena: Linguagens e Estéticas
Instituto Cervantes (707/907 Sul)
Entrada Franca 

19h e 21h - Espetáculo
O EQUILIBRISTA (BRA/DF)
Teatro da CAIXA (SBS 04)
Ingressos diretamente na bilheteria do teatro

22h30 - Happy Magic Hour
Restrito às participantes e convidadas

Dia 28/07 (sábado)

9h às 12h30 - Apresentação de Cenas das Participantes
Restrito às participantes e convidadas

11h30 - Work-in-Progress
AMOR E SOMBRA (BRA/DF)
SESC Presidente Dutra (SCS Qd.2)
Entrada Franca 

15h30 - Fórum
Pachamama: Tecnologia e Sustentabilidade
Instituto Cervantes (707/907 Sul)
Entrada Franca 

19h - Espetáculo
NK603 - ACCIÓN PARA PERFORMER & E-MAÍZ (MEX)
Teatro da CAIXA (SBS 04)
Ingressos diretamente na bilheteria do teatro

21h - Espetáculo
SEMILLAS DE MEMORIA (ARG)
Teatro da CAIXA (SBS 04)
Ingressos diretamente na bilheteria do teatro
22h30 - Happy Magic Hour
Restrito às participantes e convidadas

Dia 29/09 (domingo)

9h às 12h30 - Roda de Encerramento
Restrito às participantes e convidadas

15h e 16h - Performance
FAHRENHEIT - AS DORES E AS DELÍCIAS DE SER HOMEM (BRA/DF)
Local a definir
Entrada Franca

19h - Espetáculo
INA (CHI)
Teatro da CAIXA (SBS 04)
Ingressos diretamente na bilheteria do teatro

20h30 - Happy Magic Hour
Restrito às participantes e convidadas

ESPETÁCULOS

Aurora (BRA/DF) 
Concepção, movimento e interpretação: Eliana Carneiro
Duração: 45 min
Dia: 26/07, quinta-feira
Horário: 19h
Local: Teatro da CAIXA (SBS 04)  
Classificação Indicativa: 14 anos
Foto: Thiago Sabino
Os Buriti teatro de dança

Aurora é uma mulher que transita entre a ordem e a desordem de suas reflexões sobre a vida e o amor, de forma irônica, poética e dramática. Inúmeras mulheres e memórias de seus amantes habitam o seu íntimo. Ela viaja na atemporalidade de suas existência, está de malas prontas para ir e vir de qualquer lugar para qualquer espaço.Aurora anuncia um novo dia, um novo tempo de mudanças. Seu corpo é palavra, pensamento, feminilidade. Livremente inspirado em textos de Clarice Lispector e poemas de Luciana Martins.


Camila, El Diário de una Utopía (ECU) 
Atuação, Dramaturgia e Direção Geral: Susana Nicolalde
Duração: 60 min
Dia: 26/07, quinta-feira
Horário: 21h
Local: Teatro da CAIXA (SBS 04) 
Classificação Indicativa: 14 anos
Foto: Ricardo Centeno
Fundación Mandrágora Artes Escénicas

Camila, uma mulher que construiu sua história através das causas justas que viveu defendendo, viaja através do tempo e de sua memória, seu presente é seu passado, sua ilusão é seu desencanto, e sua guerra... a paz. A juventude, a maturidade e o começo de sua nova idade na velhice se enfrentam em um mesmo diálogo. Camila viaja pelas ruas, os pátios, as calçadas, os bordéis, os parques, salvando pedaços de carne e sorrisos violentados, regados quase sempre a cada três etapas de seus curtos passos.


Candyland, Tierra de Lobos (COL) 
Atuação: Sofia Monsalve
Direção: Ana Woolf
Duração: 70 min
Dia: 25/07, quarta-feira
Horário: 19h
Local: Teatro da CAIXA (SBS 04)  
Classificação Indicativa: 12 anos
Foto: Juan Antonio Monsalve
Teatro de la Memoria

Não sabemos quando começou esta história, mas sabemos quando termina. Um lobo uiva e o mundo desmorona. Chega um tempo sem tempo e um espaço árido onde uma velha transitará evocando suas recordações de menina, de mulher, de velha menina-mulher. Retalhos da história de uma (ou muitas?) mulher que se lembra, uma ou outra vez, esse momento em que “perdeu a inocência”. A dramaturgia atravessa nós dramáticos da personagem e sua relação com a ausência, a guerra e o desvanecimento de um mundo de segurança, a perda de um ser amado e a súplica por um pai que não chega.



O Castelo de Holstebro (DIN)
Atuação: Julia Varley
Direção: Eugenio Barba
Duração: 60 min
Dia: 23/07, segunda-feira
Horário: 19h
Local: Teatro da CAIXA (SBS 04)
Classificação Indicativa: 14 anos
Foto: Jan Rüsz
Odin Teatret

O Castelo de Holstebro é um castelo fantasma habitado por produtos da imaginação, é o mundo que se torna um sonho e o sonho que se torna um mundo. Dentro de suas muralhas, uma mulher e seu eterno companheiro estabelecem um diálogo da mesma forma que pensamentos se aventuram na lógica oposta da experiência. Ela vive na água, entre flores e ilusões. Ele é encantador, vivaz e curioso. Ela é capaz de viver em um mundo de quimera, onde o amor sorri desde uma imaginação pura e brilhante.


O Equilibrista (BRA/DF)
Atuação: Filipe Lima
Músico: Guilherme Cezário
Voz do Pai: Chico Sant'anna
Direção e Dramaturgia: Luciana Martuchelli
Duração: 70 min
Dia: 27/07, sexta-feira
Horário: 19h e 21h
Local: Teatro da CAIXA (SBS 04)
Foto: Sartoryi
Classificação Indicativa: 14 anos
Cia. YinsPiração Poéticas Contemporâneas
Um evento de Novas Masculinidades
Quais são as escolhas do coração que transformam um menino em um homem e um homem em um artista e criador? O palco é uma ilha, onde o tempo não existe; as ruínas de um teatro incendiado, onde o tempo passou; o jardim do Imperador, onde o tempo voa; a morada de Deus, onde o tempo está parado. Um anjo observa a vida e não sabe se fica no conforto da eternidade ou cai e se torna um homem.


Estrelas (BRA/SP) 
Atuação: Marilyn Nunes
Direção: Julia Varley
Duração: 70 min
Dia: 24/07, terça-feira
Horário: 19h
Local: Teatro da CAIXA (SBS 04)
Classificação Indicativa: 12 anos
Foto: Zaba Zantcher
Oposto Teatro Laboratório

Por trás do som de uma máquina de escrever surge uma escritora com um pandeiro. À beira da morte, ela trabalha em sua última novela enquanto a apresenta ao público: Macabéa, uma moça do subúrbio que conhece seu primeiro namorado, Olímpico; Glória, a colega de trabalho que rouba seu namorado; e Madame Carlota, uma cartomante com quem se consulta. Assim, a escritora traça uma retrospectiva de sua vida: o primeiro amor, a primeira decepção, a busca por quem se é, a consciência de uma vida miserável e sem sentido, a crença num futuro feliz e o confronto final com o inevitável.


Fahrenheit - As Dores e as Delícias de Ser Homem (BRA/WAL/MEX/ESP) 
Direção: Jill Greenhalgh e Luciana Martuchelli
Atores e performers: Alejandro Garcés, André Aires, Enio Salles, Filipe Lima, Jackson Bauer, Paulo Peters, Pedro Duarte, Reges Aragão, Ricardo Lopez, Tauã Franco, Victor Abrão.
Duração: 40 min
Dia: 29/07, domingo
Horário: 15h e 16h
Local:   
Classificação Indicativa: 10 anos
Foto: Sartoryi
Um evento de Novas Masculinidades

Fahrenheit é uma investigação arqueológica e mítica em busca da masculinidade obnubilada pelos estereótipos, um convite para desfrutar da palavra antiga, que se transmite de geração em geração, desfrutando da beleza e da entrega dos homens a seus segredos e heranças, a fim de inspirar e mostrar os homens como importantes e necessários pacificadores, aliados e agentes de mudança.


Gotas D'Água (BRA/DF) 
Concepção, Performance e Vídeo: Paola Luna
Duração: 50 min
Dia: 26/07, quinta-feira
Horário: 16h
Local: Instituto Cervantes (707/907 Sul)
Classificação Indicativa: 12 anos
Foto: Adriano Santos
Studioline Filmes / Festival Multicidade

Gotas d’água formam oceanos e, com a mesma fluidez e correnteza da água, uma mulher percorre fragmentos de sua história. O espetáculo narra a trajetória de uma mulher engajada, militante feminista e, está dividida em três momentos: a experiência em seu país de origem, os conflitos e suas consequências; a emigração - resultado de sua vida política e afetiva; a perda e as possibilidades do presente e do futuro.



El Hombre que Soñó Parir una Niña por el Ombligo (COL)
Atuação e Textos: Carlos Satizabal
Direção: Patricia Ariza
Duração: 60 min
Dia: 25/07, quarta-feira
Horário: 14h30
Local: Instituto Cervantes (707/907 Sul)
Classificação Indicativa: 12 anos
Foto: Valtazar Lashnich
Um evento de Novas Masculinidades


1. O homem. Alguém o questiona: de onde ele vem, qual é seu trabalho, quem é sua família? Ele é um artista ou um escritor? Eles lhe cobram tempo. Em um sonho, seu avós lhe prometeram viver 120 anos. Ele deu luz a uma menina através do umbigo. Ele vem de um país de pessoas não enterradas. 2. A palestra. Um ator lê um texto de um diretor: o que significa ser homem em tempos de demolição do patriarcado? O patriarcado e o teatro modelam nossos pontos de vista, nossa voz, nosso corpo e algumas histórias. Como podemos inventar uma nova masculinidade?


Ina (CHI)
Atuação e Textos: Verónica Moraga
Direção e Dramatugia: Josefina Baés
Duração: 45 min
Dia: 29/07, domingo
Horário: 19h
Local: Teatro da CAIXA (SBS 04)
Classificação Indicativa: 14 anos
Mestiza Chile

Ina conta as vivências de uma mulher com sua pequena filha desde o momento da gestação. Relata com ironia, humor e delicadeza como a maternidade influi em sua relação de casal, situando-a em um mundo novo, alheio, cheio de responsabilidades e surpresas. Esta nova realidade se parte quando a inesperada e precoce morte de sua filha abala sua vida. Esta perda significativa gera uma atmosfera de introspecção que lhe faz ver as coisas de outra maneira.


Lady Swettenham (MAS)
Atuação: Sabera Shaik
Direção: Tage Larsen
Duração: 60 min
Dia: 25/07, quarta-feira
Horário: 21h
Local: Teatro da CAIXA (SBS 04) 
Classificação Indicativa: 14 anos
Foto: Masakini Theatre Group/Divulgação
Masakini Theatre Company

Esta é a história de Connie, a esposa maníaca depressiva de Sir Frank Swettenham, Ministro Britânico Residente na Malásia. Situada na primeira metade do século XX, a história se move perfeitamente da idade adulta de Connie, na Inglaterra da década de 1880, a sua vida de casada na Malásia e em Singapura. Este período de aproximadamente 40 anos revela muito sobre sua infelicidade e a atitude desdenhosa do marido sobre sua doença além de alguns segredos de Estado.


NK603: Acción para Performer & e-Maíz (MEX/EUA)
Concepção, Performance e Figurinos: Violeta Luna
Vídeos: Roberto Gutierrez Varea e Mickey Tachibana
Duração: 45 min
Dia: 28/07, sábado
Horário: 19h
Local: Teatro da CAIXA (SBS 04)
Classificação Indicativa: 14 anos
Foto: Julio Pantoja
Violeta Luna

NK603 é uma reflexão sobre a realidade do milho transgênico e suas desastrosas consequências para a vida. Para os mexicanos, como para muitos outros povos latino-americanos, o milho não apenas nutre o corpo, mas também a alma, como tem sido utilizado na mitologia e nos textos sagrados mexicanos que retratam a origem dos primeiros seres humanos a partir do maíz. Além de ser um dos recursos alimentícios mais tradicionais, tem um papel simbólico fundamental em determinados rituais e celebrações comunitárias, do sudeste norte-americano até o continente andino da América do Sul.


Passarela (COL/BRA) 
Direção: Patricia Ariza
Performers: Participantes da oficina e convidados
Duração: 30 min
Dia: 27/07, sexta-feira
Horário: 14h30
Local: Instituto Cervantes (707/907 Sul)
Classificação Indicativa: 12 anos
Foto: Henry Chan/Alt. Theatre

Mulheres desfilam em passarelas tradicionais para mostrar roupas: são cabides humanos para vender vestuário. Nessa “Passarela”, mulheres (e, pela primeira vez, homens) marcharão para revelar suas almas. Elas e eles desfilam para condenar todas as formas de violência de gênero e para denunciar a violência política, cultural e econômica. Uma performance com ações de rebelião, poesia e humor para acusar, zombar e resistir ao uso dos corpos de mulheres e de homens como mercado de luxúria, abuso da guerra e objeto da dominação patriarcal. Uma celebração à diversidade de gênero.


A Receita (BRA/PE) 
Atuação: Naná Sodré
Direção e Textos: Samuel Santos
Duração: 50 min
Dia: 24/07, terça-feira
Horário: 21h
Local: Teatro da CAIXA (SBS 04)
Classificação Indicativa: 16 anos
Foto: Thaís Lima
O Poste Soluções Luminosas

A obra tragicômica descreve o universo de uma mulher num processo de libertação. Em um acerto de contas, a anônima confessa como passou a maior parte do tempo temperando suas ilusões com sal, alho e coentro com cebolinha... até mesmo em momentos desatinados. Morte, violência, loucura e a intolerância de uma maneira peculiar são narradas nesse solo explorando diversos pontos de vista, abordando suas inexoráveis naturezas e revelando uma dramaturgia antenada com as questões de uma personagem no seu processo limite.

Semillas de Memoria (ARG)
Atuação: Ana Woolf
Direção: Julia Varley
Duração: 60 min
Dia: 28/07, sábado
Horário: 21h
Local: Teatro da CAIXA (SBS 04)
Classificação Indicativa: 14 anos
Foto: Edu Barroso
Magdalena 2da Generación

O espetáculo trata da ausência: da ausência de um pai, da ausência de um corpo para sepultar, da ausência de 30.000 pessoas desaparecidas na Argentina durante a última ditadura militar. Mas esta ausência gera também o seu oposto: resistência, presença e identidade. A ausência torna-se o ponto de partida para a construção de um espetáculo que contém uma mensagem pessoal e um discurso político.

quarta-feira, 4 de julho de 2018

INSCRIÇÕES PRORROGADAS

Inscrições prorrogadas até 15 de julho e/ou de acordo com a disponibilidade de vagas para as Residências Artísticas!

sexta-feira, 15 de junho de 2018

¡INSCRIPCIONES ABIERTAS PARA LOS TALLERES!

FESTIVAL Y ENCUENTRO INTERNACIONAL DE MUJERES EN EL TEATRO 
THE MAGDALENA PROJECT BRASIL 
TERCERA EDICIÓN 
De 23 a 29 de julio de 2018 – Brasilia - DF - Brasil 

Monólogos y unipersonales nacionales e internacionales, works-in-progress, demonstraciones de trabajo, mesas redondas, conferencias, lanzamientos de libros, foros, saraos, instalaciones, exposiciones y talleres de excelencia.



TEMA DE LA EDICIÓN DE 2018: 
LA CAJA DE PANDORA 
¿Que quedó dentro de la caja y que nos sostiene en tiempos oscuros? 

En su tercera edición, SOLOS FÉRTEIS es un festival y encuentro de mujeres en el teatro contemporáneo que integra, desde 2010, el Magdalena Project – red dinámica e intercultural fundada por Jill Greenhalgh en el país de Gales en 1986, que facilita la discusión y ofrece apoyo y entrenamiento a mujeres artistas, actrices, directoras, investigadoras y performers. 

El SOLOS FÉRTEIS fue creado en la capital brasileira por la actriz e directora Luciana Martuchelli con el apoyo da su compañía teatral, a Cia. YinsPiração Poéticas Contemporâneas, con la finalidad de dar resonancia y estimular la perspectiva crítica de la voz y de los lenguajes usados y creados por las mujeres en el teatro. Desde su origen, está dedicado a reunir en el corazón del Brasil un número cada vez más grande de directoras, actrices, pensadoras y pedagogas que invierten en teoría y montajes de performances solo, monólogos, unipersonales, enfatizando el trabajo con la voz, con la dramaturgia corporal, con la escrita teatral y con la cultura de grupo. 

El festival de ámbito internacional pretende estimular la producción de monólogos atrayendo mujeres que están renovando diariamente el panorama conceptual, filosófico y lingüístico del teatro contemporáneo por medio de la organización de un foro creado especialmente para generar perfeccionamiento, intercambio y reflexión sobre ese género teatral. 

El tema de esta edición será “La Caja de Pandora”. Según el mito griego, Pandora fue la primera mujer que existió y que, por descuido de su propia curiosidad, al abrir una caja que le entregaron para que cuidase, liberó todos los males desconocidos hasta el momento: guerras, enfermedades, odio, etc. “Ella” y su curiosidad se convirtieron en el símbolo de las fallas morales del mundo; el festival recupera el foco de lo que se quedó dentro de la caja: la esperanza. Paralelo al mito cristiano, y otras “mitografías patriarcales” – donde la mujer es la responsable por la pérdida del Paraíso, por ejemplo – el festival se pregunta: ¿cuál es el verdadero saber por detrás de estos arquetipos?, ¿cuál es la herencia y la responsabilidad de la mujer artista contemporánea? Lo que nos soporta y que nos da sustento cuando todo parece estarse desmoronando. De esta forma, esa edición pretende ser un oasis, un viaje en dirección al aliento, al néctar: de donde vive la esperanza y toda acción que nos inmuniza contra la impotencia y el horror. 

Dentro de esta edición, también abriremos la discusión para el tema “Nuevas Masculinidades”. Promoveremos una reflexión sobre como los hombres y mujeres pueden luchar juntos contra la violencia, dándose soporte mutuo y creando espacios de cooperación e igualdad. ¿Qué significa ser un hombre en este nuevo mundo febril por igualdad que surge? Las imágenes de la masculinidad difundidas en nuestra cultura están desgastadas. Ya haciendo que muchos hombres identifiquen esos modelos con desconfianza, o como presiones sociales, culturales y políticas forzadas, y de esta forma podemos aceptarlas o rechazarlas. 

Invitamos y seleccionamos artistas brasileñas y extranjeras para iluminar el tema y ser la vitrina de lo mejor del ser humano: el arte como aliento e inteligencia emocional contra la intolerancia. 

El festival no es apenas una vitrina, sino un encuentro que quiere promover contraste, espejo, perspectiva, endorsar, conectar y brindar nuevos frutos. 

De esta forma, la programación de SOLOS FÉRTEIS además de englobar espectáculos, performances, demonstraciones de trabajo y foros, planea talleres, espacios de intercambio, mesas redondas, todo contemplado con una infraestructura de soporte de transporte, almuerzos, cenas y hospedaje para las artistas participantes locales y de todas las partes. Tradicionalmente ofrece algunas actividades gratuitas y abiertas, y por otro lado, algunas por invitación y con régimen de inmersión, manteniendo de esta manera, la característica intimista y perfil del Magdalena Project, donde artistas participantes, artistas invitadas y el staff del festival pasan la mayor parte del tiempo juntas. 

Para artistas participantes, interesadas en compartir sus trabajos, también habrá un espacio de troca “Pret-a-Porter”, para trabajos en proceso. 

TALLERES 
Este año serán ofrecidos apenas 60 cupos. Como se trata de un Festival con incentivo y fomento a la producción de mujeres, 80% de los cupos son destinados preferencialmente a actrices, directoras, profesoras académicas, cantoras, bailarinas, cineastas e performers seleccionadas por envío de ficha de inscripción y currículo; los hombres pueden participar hasta con un 20% de la totalidad disponible. De esta manera podemos fomentar un mayor intercambio entre artistas de otras regiones y países interesadas(os) en el encuentro internacional, obras, foros y entrenamientos durante el festival, ya que ofrecemos hospedaje a precios accesibles incluyendo los desayunos. 

Cada taller tendrá una ocupación de 12 personas, por lo que no podemos garantizar que el taller de su selección será en el que va a participar, ya que los cupos son distribuidos por orden de inscripción, seguida de la evaluación del currículo y motivador para estar presente. Cada taller tendrá una carga horaria total de 12 horas/aula. 

Continuando con nuestra filosofía, en esta edición SOLOS FÉRTEIS 2018, realizaremos una presentación de resultados al final de todos los talleres. Con esto las participantes apenas no solo intercambian experiencias de lo que fue aprendido durante la semana de trabajo, sino que consiguen llevar consigo pequeñas células de técnicas y otras propuestas que nutran sus trabajos colectivos, o que sirvan de inspiración para futuras performances o hasta para unipersonales. En esta edición, por ejemplo, hay obras que nacieron en ediciones anteriores del festival. Las presentaciones de los resultados de los talleres no serán abiertos al público, serán exclusivas para las artistas invitadas y participantes inscritas en el encuentro. La participación en esa presentación final es opcional. 

LEA ATENTAMENTE TODA LA DESCRIPCIÓN DE LOS TALLERES, también sus prerrequisitos. 

TALLER 1 – EL LENGUAJE DE LA MEMORIA 
Con: CRISTINA CASTRILLO y BRUNA GUSBERTI – Teatro delle Radici (Argentina/Suiza) 
Impartido en: español 
De 24 a 26 de julio, de 9 am a 1pm.
El elemento fundamental del trabajo teatral de Cristina Castrillo es la memoria; no apenas aquello que una persona recuerda, sino principalmente, aquella memoria en particular, a veces imperceptible, red de “ideas” por la cual una emoción nos llega o una reacción dirige sus movimientos. “Memoria” no es reconocida como la reproducción de “hechos”, sino como una misteriosa geografía personal con la cual nos manifestamos, materializamos, retratamos y transmitimos. La combinación de dos valores decisivos como la práctica de la memoria física y el desarrollo de la memoria emocional, junto con la determinación de la actriz como eje principal del acto creativo, son los parámetros en que el trabajo de Cristina se basa y se desarrolla. Bruna Gusberti imparte el trabajo vocal. 

Prerrequisitos: Ropas ligeras para actividad física. Traer objetos para el trabajo (que serán especificados antes de cada sesión). Lápiz y cuaderno de notas. 

Sobre Cristina Castrillo: cuatro décadas dedicadas profesionalmente al teatro; desde el inicio (en los años 70, en Argentina) del Libre Teatro Libre, uno de los más significativos grupos de Latinoamérica, hasta la fundación (en 1980 en Suiza) del Teatro delle Radici (Teatro de las Raíces, español). La vasta experiencia de este período (como actriz, pedagoga y directora) le permitieron consolidarse de forma individual y después complementándose con otros actores sobre los aspectos fundamentales de su concepción teatral. La dedicación exclusiva a la investigación de los elementos que están en la base de la formación del actor propició la creación de espectáculos grupales y unipersonales, valorizando el papel del actor como centro primordial del hacer creativo. Profundizó la pedagogía con la creación, en Lugano (Suiza), de la Escuela Laboratorio para actores extranjeros y desarrolló, posteriormente, el método a través de los numerosos workshops aplicados en todo el mundo. 

TALLER 2 – ECO DEL SILENCIO
Con: JULIA VARLEY – Odin Teatret (Inglaterra/Dinamarca) 
Impartido en: portugués / español
De 24 a 26 de julio, de 9 am a 1 pm. 
Dramaturgia vocal para actores y cantores. El taller propone la creación de partituras escénicas enseñando a las actrices a pensar por medio de acciones. Se concentra en la unidad del impulso físico y vocal, de la voz cantada y hablada, relacionando texto y acción, tratando de reconocer la voz individual en el coro y alcanzar la generosidad de la voz dada al espacio. 

Prerrequisitos: Los participantes deben traer un texto memorizado (poesía o prosa de aproximadamente media página) y una música con el tema “silencio”. Ropas ligeras para actividad física. Lápiz y cuaderno de notas. 

Sobre Julia Varley: Nació en 1954, en Londres (Inglaterra) e ingresó al Odin Teatret en 1976. Además de actuar, participa activamente como directora, profesora, organizadora/productora y escritora. Desde 1990, es parte de la organización da ISTA (International School of Theatre Anthropology). Desde su inicio en 1986, participa activamente del The Magdalena Project y es directora artística del festival Transit, en Holstebro (Dinamarca), edita la revista The Open Page, dedicada a las mujeres en el teatro. Es autora de los libros: Viento al Oeste, una novela escrita por un personaje teatral; y de Piedras de Agua, sobre su experiencia como actriz dentro del Odin Teatret. 

TALLER 3 – PASARELA – TALLER DE MONTAJE
Con: PATRICIA ARIZA – Teatro La Candelaria (Colombia) 
Impartido en: español 
Del 24 al 26 de julio, de 9 am a 1 pm. 
Mujeres desfilan en pasarelas tradicionales para mostrar ropas: son percheros humanos para vender vestuario. En esa “pasarela”, mujeres (y por la primera vez en este taller también hombres) marcharán para revelar sus almas. Ellas y ellos desfilan para condenar todas las formas de violencia de género pero también para denunciar la guerra y a violencia política, cultural y económica. Criarán un performance con acciones de rebeldía, poesía y humor para acusar, burlarse y resistir al uso de esos cuerpos como mercado de lujuria, abuso de guerra y objeto de la dominación patriarcal. La “pasarela” también celebrará a diversidad de género. Esta “pasarela” construirá un palco compartido, donde artistas e no-artistas, actuando como protagonistas de sus propias historias, se unen para mostrarse como realmente son. Este no es un teatro de testigos, sino un laboratorio de creatividad personal y colectiva que celebra la diversidad física y escapa de la prisión de los estereotipos. La pasarela será presentada como una de las atracciones de la programación del festival y es parte integrante del foro de Nuevas Masculinidades. 

Sobre Patricia Ariza: Miembro fundador del Teatro La Candelaria, en Bogotá. Es actriz, directora y escritora. Presidente da Corporación Colombiana de Teatro. Además de su trabajo en el Teatro La Candelaria, Patricia colabora con Lucy Bolaños y Pilar Restrepo en Cali y es muy activa en producción, dirección y organización de espectáculos, eventos, festivales, encuentros con jóvenes que viven en las calles, prostitutas, dependientes químicos, personas proscritas por la guerra; viudas y niños de Urabá (área conocida como la más violenta de Colombia). Patricia es parte de la red Magdalena hace muchos años y en 2006 organizó el Festival Magdalena Antígona, en Bogotá. 

TALLER 4 – KOSHI OR NOT KOSHI 
Con: ANA WOOLF – Magdalena 2da Generación (Argentina) 
Impartido en: portugués / español
Del 24 a 26 de julio, de 9 am a 1 pm. 
El trabajo se articula al redor de la noción de presencia. Presencia del cuerpo, de la voz. Presencia de un todo. Trabajaremos sobre los centros de atención: los pies y la cadera. El taller se fundamenta en el desarrollo de diferentes ejercicios físicos y vocales que pertenecen a técnicas orientales y occidentales. Por medio de ellas, a partir del cuerpo, se busca una aproximación primaria de conceptos como presencia, energía, acción y organicidad. Se busca también explotar diferentes calidades de energía y aprender de qué forma podemos transformarla en energía funcional, manipulable y disponible para la actriz y el actor. El trabajo propuesto no hablará de “interpretación” ni de “personajes”, sino de espacio y respiración, acción, cabeza que baila y pies que piensan. Estar presente con todo o nuestro cuerpo “aquí y ahora”. 

Prerrequisitos: Las participantes deben llevar por escrito algunas líneas sobre como ellas ven la voz (¿qué es la voz para ellas?, ¿qué esperan de ella?, ¿qué quieren con ella?). Traer bufanda larga, zapato de tacón (opcional), un par de zapatos confortables, medias y una música que le gustaría compartir. 

Sobre Ana Woolf: Es cofundadora del Magdalena 2da Generación, proyecto ligado a la Red Magdalena, iniciado en enero de 1998. Su trabajo de investigación y producción está centrado en el concepto del teatro como un hecho de interdisciplinaridad comunitaria, enraizada en la esencia de la identidad nacional y latino-americana. Por medio de los festivales, encuentros, talleres e intercambios culturales entre artistas de diferentes regiones de Argentina, el Magdalena 2da Generación busca recuperar la vitalidad de la cultura propia, rescatando la riqueza de la diversidad. http://www.anawoolf.com.ar/ http://www.magdalena2dageneracion.blogspot.com.br/ 

TALLER 5 – CAJA DE MEMORIA
Con: YA-LING PENG – Uhan Shii Theatre Group (Taiwán) 
Impartido en: Ingles con traducción al portugués / español
Del 24 al 26 de julio, de 9 am a 1 pm. 
“Me gusta escuchar las historias de la vida de las personas, compartir historias de vida con el objetivo de conectarlas. Creo que nuestras vidas tienen una intención – somos los mismos, aunque no haya participado de tu experiencia, puedo comprenderte. A través de las historias de memorias, descubriremos que somos hermanas y hermanos. No hay diferencia entre tú y yo. Tenemos mucho en común, somos una familia.” “Caja de Memoria” es una instalación de un momento de la vida a través de nuestras realizaciones que reafirma el significado de cada momento. Solamente si conocemos nuestro pasado, podemos observarnos y conocer el hoy y soñar con el futuro. Primer día: Ritual de la Memoria. Segundo día: Caja de Memoria. Tercero día: Ruta de Vuelta al Origen. 

Prerrequisitos: Cuaderno de anotaciones exclusivo para el taller. 

Sobre Ya-Ling Peng: Trabaja como actriz, directora y dramaturga. Comenzó su carrera en el teatro en 1981 fundando la compañía Square-Round Theatre. De 1988 a 1991, Ya-Ling Peng estudió actuación en Londres con el Animate Theatre, London School of Mime and Movement y fue parte da compañía teatral Tragic Carpet. En 1993, fundó el primer grupo de teatro para personas de edad avanzada de Taiwan, Modern Form Theatre Group. En 1995, fundó el Uhan Shii Theatre Group, en Taipei. Ya-Ling también ayudó las ciudades de Kau-Sheion, Shin-Chong y Shin-Jeou a comenzar sus propios teatros comunitarios y fue directora de sus primeros espectáculos. También trabajó con varios grupos teatrales profesionales. Ya-Ling organizó dos festivales en Taiwán en colaboración al Magdalena Project. 


TALLER 6 – EL CUERPO: TERRITORIO Y FRONTERA 
Con: VIOLETA LUNA (Mexico/EEUU) 
Impartido en: Español 
Del 24 al 26 de julio, de 9 am a 1 pm. 
El taller está dirigido a estudiantes y profesionales del arte, de la performance, del video, del teatro o de la danza, y interesados en propuestas parateatrales. Las participantes usarán sus cuerpos como territorio de creación y desarrollarán acciones a partir de sus complexidades personales de la memoria, identidad y sentido individual y social de raza, género y sexualidad. Algunos de los temas abordados en el taller serán: el Cuerpo (ejercicios prácticos de presencia y energía interna), el Espacio (relación con el alrededor, intervención de espacios públicos y privados), el Tiempo (real, ficcional y ritual), La Acción (creación in situ, reacción, estímulos reales y ficticios, interacción con el público y manipulación del acaso), Prácticas de acción, usando objetos cotidianos.

Prerrequisitos: Las participantes deben tener alguna experiencia en entrenamiento corporal y conocimiento sobre el arte performance.

Sobre Violeta Luna: Actriz, activista y performer. Su trabajo explora la relación entre el teatro, la performance y el compromiso comunitario. Trabajando en un espacio multidimensional que permite el cruzamiento entre la estética y la fronteras conceptuales, Violeta usa su cuerpo como territorio para preguntar y comentar fenómenos sociales y políticos. Nacida en la Ciudad de Mexico, fue graduada en Actuación en el Centro Universitario de Teatro (UNAM) e en La Casa del Teatro. Ha actuado y ministrado talleres extensivamente por Latin America y Europa, así como Ruanda, Egipto, Nueva Zelanda, Japón, Canada y EEUU. Mientras primeramente trabajando como performer sola, también es artista asociada de los colectivos performáticos La Pocha Nostra y Secos y Mojados, en San Francisco. Es miembro de Creative Capital y National Association of Latino Arts and Cultures (NALAC). También es miembro del Magdalena Project. Sus trabajos mas significantes incluyen: “Réquiem por una Tierra Perdida”, “Frida”, “NK603”, “Apuntes sobre la Frontera” y una serie de colaboraciones con La Pocha Nostra.
http://violetaluna.com/ 

INSCRIPCIONES ABIERTAS PARA LOS TALLERES HASTA EL DIA 30/06 
Vea abajo las opciones de PASAPORTE para ser parte del encuentro y del Festival SOLOS FÉRTEIS y también participar de los talleres, mesas redondas y tener libre entrada en los espectáculos. 

PASAPORTE 1 – LOCAL 
Valor: R$ 800,00 (ochocientos reales) 
Incluye:
• CREDENCIAL con libre entrada y prioridad de acceso en todas las actividades y espectáculos del festival, de 23 a 29 de julio;
• TRASLADO durante las actividades relacionadas al festival en los horarios establecidos en la programación;
• CERTIFICADO de participación;
• ALIMENTACIÓN (almuerzo, cena y fiesta de clausura – bebidas no incluidas);
• WORKSHOP residente con artista internacional con carga horaria de 10 horas/aula, con intercambio de resultados al final da semana. El objetivo es que las participantes puedan llevar consigo un abundante material para sus futuros trabajos, además de posibles nuevas conexiones de trabajo.
OBSERVACIÓN: traslados fuera del circuito oficial del festival serán responsabilidad de cada participante.

PASAPORTE 2 – Nacional o Internacional 
Valor: R$ 1.610,00 (mil seiscientos e diez reales) 
Incluye:
• HOSPEDAJE con desayuno;
• TRADUCCIÓN en los talleres y foros;
• CREDENCIAL con libre entrada y prioridad de acceso en todas las actividades y espectáculos del festival, de 23 a 29 de julio;
• TRASLADO durante las actividades relacionadas al festival en los horarios establecidos en la programación;
• CERTIFICADO de participación;
• ALIMENTACIÓN (almuerzo, cena y fiesta de clausura – bebidas no incluidas);
• WORKSHOP residente con artista internacional con carga horaria de 10 horas/aula, con intercambio de resultados al final da semana. El objetivo es que las participantes puedan llevar consigo un abundante material para sus futuros trabajos, además de posibles nuevas conexiones de trabajo.

SOBRE EL HOSPEDAJE
El festival tiene un carácter intimista y promueve una grande parte de su programación en régimen de inmersión para que todos los involucrados – artistas participantes, artistas convidadas e staff del festival – pasen la mayor parte del tiempo juntos. De esta forma, las actividades pedagógicas, comidas, mesas redondas y espectáculos se convierten en un espacio que no es solamente una vitrina, sino al mismo tiempo un lugar de encuentros, feedback, mejoramiento y apoyo mutuo.

Partiendo de ese principio y para fomentar un más grande intercambio multicultural con la presencia de artistas de otros estados y países, el encuentro ofrece estadía en habitaciones dobles con desayunos incluidos. Estadía con check-in el día 23/07 a partir de las 2 pm e check-out el día 30/07 hasta las 12 pm (mediodía).

ATENCIÓN 
El precio promocional del hospedaje en la capital se debe a un trabajo de cooperación entre el Instituto Divino Mestre y el SOLOS FÉRTEIS. Las interesadas en hospedarse con conjugue o familiar, o en habitación individual, deben comunicarse con la producción del evento para saber si existe esa disponibilidad de habitaciones y cuáles son los precios practicados para estas modalidades. 

FORMAS DE PAGO 
PASAPORTE 1 – LOCAL 
- De Contado (única cuota): R$ 800,00
- 02 (Dos) Cuotas de: R$ 400,00 (primera cuota al momento de la inscripción y la segunda hasta el día 10/07) 

PASAPORTE 2 – NACIONAL O INTERNACIONAL 
- De Contado (única cuota): R$ 1.610,00 
- 02 (Dos) Cuotas de: R$ 805,00 (primera cuota al momento de la inscripción y la segunda hasta el día 10/07) 

Llena la HOJA DE INSCRIPCIÓN, la salva en PDF y la envia juntamente con una foto de rostro (jpeg hasta 500kb) para solosferteis@gmail.com. Ponga en el asunto INSCRIPCIÓN TALLER (NUMERO DEL TALLER). Después de haber recibido el e-mail con la confirmación de puesto por parte de la producción del festival, la participante, deberá hacer el depósito o transferencia del valor de la forma seleccionada en la cuenta mencionada, y enviar el comprobante de pago para el mismo correo.

SOLAMENTE después de recibimiento del depósito, el cupo será otorgado y la inscripción confirmada. O pago deberá ser realizado en un plazo de hasta 48 horas después del recibimiento del correo electrónico de la producción para poder garantizar el cupo en el festival.

REALIZACIÓN 
Cia. YinsPiração Poéticas Contemporâneas
SOLOS FERTEIS – The Magdalena Project – Brasil
+55 61 9 8417 8167 / 9 8402 2696
Brasília – Brasil
www.solosferteis.blogspot.com / solosferteis@gmail.com
https://www.facebook.com/solos.ferteis
http://www.themagdalenaproject.org/en/content/solos-ferteis
https://www.facebook.com/taofilmes

segunda-feira, 11 de junho de 2018

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA AS OFICINAS!

FAC - Fundo de Apoio à Cultura apresenta

 FESTIVAL E ENCONTRO INTERNACIONAL DE MULHERES NO TEATRO 
THE MAGDALENA PROJECT BRASIL  
TERCEIRA EDIÇÃO
De 23 a 29 de julho de 2018 – Brasília – DF

Monólogos e unipersonais nacionais e internacionais, works-in-progress, demonstrações de trabalho, mesas redondas, conferências, lançamentos de livros, fóruns, saraus, instalações,
exposições e oficinas de excelência.
 

TEMA DA EDIÇÃO DE 2018: 
A CAIXA DE PANDORA 
O que ficou dentro da caixa e que nos sustenta em tempos obscuros? 

Em sua terceira edição, o SOLOS FÉRTEIS é um festival e encontro de mulheres no teatro contemporâneo que integra, desde 2010, o Magdalena Project – rede dinâmica e intercultural fundada por Jill Greenhalgh no País de Gales em 1986, que facilita a discussão e oferece apoio e treinamento a mulheres artistas, atrizes, diretoras, investigadoras e performers. 

O SOLOS FÉRTEIS foi criado na capital brasileira pela atriz e diretora Luciana Martuchelli com apoio da sua companhia teatral, a Cia. YinsPiração Poéticas Contemporâneas, a fim de dar ressonância e estimular a perspectiva crítica da voz e das linguagens usadas e elaboradas por mulheres no teatro. Desde sua origem, está dedicado a reunir no coração de Brasil um número cada vez maior de diretoras, atrizes, pensadoras e pedagogas que invistam em teoria e montagens de performances solo, monólogos, unipersonais, enfatizando o trabalho com a voz, com a dramaturgia corporal, com a escrita teatral e com a cultura de grupo. 

O festival de âmbito internacional pretende estimular a produção de solos atraindo mulheres que estão renovando diariamente o panorama conceitual, filosófico e linguístico do teatro contemporâneo por meio da organização de um fórum criado especialmente para gerar aperfeiçoamento, intercâmbio e reflexão sobre esse gênero teatral. 

O tema desta edição será “A Caixa de Pandora”. Segundo o mito grego, Pandora foi a primeira mulher a existir e que, por descuido da própria curiosidade, ao abrir uma caixa que lhe foi confiada, liberou todos os males até então inéditos: guerras, doenças, ódio, etc. “Ela” e sua curiosidade viraram símbolo das mazelas do mundo; o festival traz um foco no que ficou dentro da caixa: a esperança. Paralelo ao mito cristão, e demais “mitografias patriarcais” – onde a mulher é a responsável pela perda do Paraíso, por exemplo – o festival pergunta qual o verdadeiro saber por detrás desses arquétipos, qual é o legado e responsabilidade da mulher artista contemporânea. O que nos sustenta quando tudo mais parece estar desmoronando. Desta forma, essa edição pretende ser um oásis, uma viagem em direção ao alento, ao néctar: onde vive a esperança e toda ação que nos imuniza contra a impotência e o horror. 

Dentro desta edição, também abriremos a discussão para o tema “Novas Masculinidades”. Promoveremos uma reflexão de como homens e mulheres podem lutar juntos contra a violência, dando suporte mútuo e criando espaços de cooperação e igualdade. O que é ser homem neste novo mundo febril por igualdade que surge? As imagens da masculinidade difundidas pela cultura estão desgastadas. Fazendo com que muitos homens percebam tais modelos com desconfiança, ou como pressões sociais, culturais e políticas impostas, e desta forma, podemos aceitá-las ou refutá-las. 

Convidamos e selecionamos artistas brasileiras e estrangeiras para jogar luz e ser vitrine do melhor do ser humano: a arte como alento e inteligência emocional contra a intolerância. 

O festival não é apenas uma vitrine, mas um encontro que quer promover contraste espelho, perspectiva, endosso, conexão e novos frutos. 

Assim, a programação do SOLOS FÉRTEIS além de englobar espetáculos, performances, demonstrações de trabalho e fóruns, prevê oficinas, espaços de troca, mesas redondas, tudo contemplado por suporte de transporte, almoço e jantar, e hospedagem para as artistas que se apresentarão e artistas participantes locais e de todas as partes. Sua tradição traz algumas atividades gratuitas e abertas, porém outra parte, acontece fechada e em regime de imersão, mantendo assim, o caráter intimista e perfil do Magdalena Project, onde artistas participantes, artistas convidadas e o staff do festival passam a maior parte do tempo juntas. 

Para artistas participantes, interessadas em compartilhar seus trabalhos, também haverá um espaço de troca “Pret-a-Porter”, para trabalhos em processo.

OFICINAS 
Neste ano serão oferecidas apenas 60 vagas. Por se tratar de um festival de incentivo e fomento à produção de mulheres, 80% das vagas são preferenciais para atrizes, diretoras, acadêmicas, cantoras, bailarinas, cineastas e performers selecionadas por envio de ficha de inscrição e currículo; homens podem concorrer a até 20% das vagas. Justamente para fomentar maior intercâmbio entre artistas de outras regiões e países interessadas/os no encontro internacional, obras, fóruns e treinamentos durante o festival, que oferecemos hospedagem a preços acessíveis com café da manhã. 

Cada oficina terá lotação de 12 pessoas, portanto não garantimos que a oficina por você escolhida será para a qual será selecionada, pois as vagas serão preenchidas por ordem de inscrição, seguida de avaliação do currículo e motivação de estar presente. Cada oficina terá carga horária total de 12 horas/aula. 

Como parte da filosofia do SOLOS FÉRTEIS 2018, todas as oficinas desta edição terão apresentação dos resultados, a fim de que as participantes não apenas troquem experiências do aprendizado após a semana de trabalho, mas possam levar consigo pequenas células de técnica ou proposta para nutrir seus coletivos, ou para futuras performances ou mesmo solos. Nesta edição por exemplo há obras que nasceram em edições anteriores do festival. As apresentações dos resultados das oficinas não serão abertas ao público; serão exclusivas para as artistas convidadas e participantes inscritas do encontro. A participação nessa apresentação final é opcional.

LEIA ATENTAMENTE TODA A DESCRIÇÃO DAS OFICINAS, incluindo as necessidades de cada uma delas.

OFICINA 1 – A LINGUAGEM DA MEMÓRIA 
Com: CRISTINA CASTRILLO e BRUNA GUSBERTI – Teatro delle Radici (Argentina/Suíça) 
Ministrado em: Espanhol 
De 24 a 26/07, de 9h às 13h. 
O elemento fundamental do trabalho teatral de Cristina Castrillo é a memória; não apenas aquilo que uma pessoa lembra, mas principalmente, aquela particular, às vezes imperceptível, rede de “dicas” pela qual uma emoção vem à tona ou uma reação dirige seus movimentos. “Memória” não é percebida como a reprodução de “fatos”, mas como uma misteriosa geografia pessoal com a qual nos manifestamos, materializamos, retratamos e transmitimos. A combinação de dois valores decisivos como a prática da memória física e o desenvolvimento da memória emocional, junto com a determinação do ator como eixo principal do ato criativo, são os parâmetros em que o trabalho de Cristina se baseia e desenvolve. Bruna Gusberti ministra a parte vocal.

Pré-requisitos: Roupas leves para atividade física. Levar objetos para trabalho que serão especificados antes do início dos trabalhos. Lápis e bloco de notas.

Sobre Cristina Castrillo: Quatro décadas dedicadas profissionalmente ao teatro; desde o início (nos anos 70, na Argentina) do Libre Teatro Libre, um dos mais significativos grupos da América Latina, até a fundação (em 1980 na Suíça) do Teatro delle Radici (Teatro das Raízes, português). A vasta experiência deste período (como atriz, pedagoga e diretora) permitiram-na consolidar sobre si mesma no início e com vários atores depois, os aspectos fundamentais de sua concepção teatral. A dedicação exclusiva à investigação dos elementos que estão na base da formação do ator propiciou a criação de espetáculos solos e grupais, valorizando o papel do ator como centro primordial do fazer criativo. Aprofundou a pedagogia com a criação, em Lugano (Suíça), da Escola Laboratório para atores estrangeiros e desenvolveu, posteriormente, o método através dos numerosos workshops aplicados em todo o mundo.
http://www.teatrodelleradici.net/

OFICINA 2 – ECO DO SILÊNCIO 
Com: JULIA VARLEY – Odin Teatret (Inglaterra/Dinamarca) 
Ministrado em: Português 
De 24 a 26, de 9h às 13h. 
Dramaturgia vocal para atores e cantores. A oficina propõe a criação de partituras cênicas ensinando as atrizes a pensarem por meio de ações. Concentra-se na unidade do impulso físico e vocal e da voz cantada e falada, na relação entre texto e ação, tentando reconhecer a voz individual no coro e alcançar a generosidade da voz dada ao espaço. Pré-requisitos: Participantes devem ter texto decorado (poesia ou prosa de aprox. meia página) e música com o tema “silêncio”. Usar roupas leves para atividade física. Lápis e bloco de notas. 

Pré-requisitos: Ter um texto e uma canção de cor.

Sobre Julia Varley: Nasceu em 1954, em Londres (ING) e integrou o Odin Teatret em 1976. Além de atuar, participa ativamente como diretora, professora, organizadora/produtora e escritora. Desde 1990, faz parte da organização da ISTA (International School of Theatre Anthropology). Desde seu início em 1986, participa ativamente do The Magdalena Project e é diretora artística do festival Transit, em Holstebro (DIN), e edita a revista The Open Page, dedicada às mulheres no teatro. É autora dos livros O Vento do Oeste, uma novela escrita por um personagem teatral, e Pedras d’água, sobre suas experiências como atriz do Odin Teatret.
http://www.odinteatret.dk/about-us/actors/julia-varley.aspx

OFICINA 3 – PASSARELA – OFICINA MONTAGEM 
Com: PATRICIA ARIZA – Teatro La Candelária (Colômbia) 
Ministrado em: Espanhol 
De 24 a 26, de 9h às 13h. 
Mulheres desfilam em passarelas tradicionais para mostrar roupas: são cabides humanos para vender vestuário. Nessa “Passarela”, mulheres (e, pela primeira vez nesta oficina, também homens) marcharão para revelar suas almas. Elas e eles desfilam para condenar todas as formas de violência de gênero mas também para denunciar a guerra e a violência política, cultural e econômica. Criarão uma performance com ações de rebelião, poesia e humor para acusar, zombar e resistir ao uso dos corpos de mulheres e de homens como mercado de luxúria, abuso da guerra e objeto da dominação patriarcal. A “Passarela” também celebrará a diversidade de gênero. A “Passarela” construirá um palco compartilhado, onde artistas e não-artistas, atuando como protagonistas de suas próprias histórias, se unem para se mostrar como realmente são. Este não é um teatro de testemunhas, mas um laboratório de criatividade pessoal e coletiva para celebrar a diversidade física e sair da prisão dos estereótipos. A Passarela será apresentada como uma das atrações da programação do festival e é parte integrante do fórum de Novas Masculinidades. 

Sobre Patricia Ariza: Membro fundadora do Teatro La Candelária, em Bogotá. É atriz, diretora e escritora. Presidente da Corporação Colombiana de Teatro. Além do seu trabalho no Teatro La Candelária, Patricia colabora com Lucy Bolaños e Pilar Restrepo em Cali e é muito ativa na produção, direção e organização de espetáculos, eventos, festivais, encontros com jovens que moram nas ruas, prostitutas, dependentes químicos, pessoas proscritas pela guerra e viúvas e crianças de Urabá, conhecida como a região mais violenta da Colômbia. Patricia faz parte da rede Magdalena há muitos anos e, em 2006, organizou o Festival Magdalena Antígona, em Bogotá.
http://corporacioncolombianadeteatro.com/

OFICINA 4 – KOSHI OR NOT KOSHI 
Com: ANA WOOLF – Magdalena 2da Generación (Argentina)
Ministrado em: Português 
De 24 a 26/07, de 9h às 13h. 
O trabalho se articula ao redor da noção de presença. Presença do corpo, da voz. Presença de um todo. Trabalharemos sobre os centros de atenção: os pés e o quadril. A oficina se baseia no desenvolvimento de diferentes exercícios físicos e vocais pertencentes a técnicas orientais e ocidentais. Por meio delas, a partir do corpo, se busca uma aproximação primária a conceitos como presença, energia, ação e organicidade. Se busca também explorar diferentes qualidades de energia e aprender de que maneira podemos transforma-la em energia funcional, manipulável e disponível para a atriz e o ator. O trabalho proposto não falará de “interpretação” nem de “personagens”, mas de espaço e respiração, ação, cabeça que dança e pés que pensam. Estar presente com todo o nosso corpo “aqui e agora”.

Pré-requisitos: Participantes devem levar por escrito algumas linhas sobre como elas veem a voz (o que é a voz para elas, o que esperam dela, o que querem com ela). Levar echarpe longa, sapatos de salto alto (opcional), um par de sapatos confortáveis, meias e uma música que você gostaria de compartilhar.

Sobre Ana Woolf: É co-fundadora do Magdalena 2da Generación, projeto ligado à Rede Magdalena, iniciado em janeiro de 1998. Seu trabalho de investigação e produção está centrado no conceito do teatro como um feito de interdisciplinaridade e comunitário, enraizado na essência da identidade nacional e latino-americana. Por meio dos festivais, encontros, oficinas e intercâmbio culturais entre artistas de diferentes regiões da Argentina, o Magdalena 2da Generación busca recuperar a vitalidade da cultura própria, resgatando a riqueza da diversidade.

OFICINA 5 – CAIXA DE MEMÓRIA 
Com: YA-LING PENG – Uhan Shii Theatre Group (Taiwan) 
Ministrado em: Inglês com tradução para Português
De 24 a 26/07, de 9h às 13h.
“Gosto de escutar as histórias de vida das pessoas, de compartilhar histórias de vida com o objetivo de conecta-las. Acredito que nossas vidas têm uma intenção – somos os mesmos, ainda que eu não tenha participado da sua experiência, posso te compreender. Através das histórias de memórias, descobriremos que somos irmãs e irmãos. Não há diferença entre você e eu. Temos muito em comum, somos uma família.” “Caixa de Memória” é uma instalação de um momento da vida através de nossas realizações que reafirma o significado de cada momento. Somente se conhecemos nosso passado, podemos nos observar e conhecer hoje e sonhar com o futuro. Primeiro dia: Ritual da Memória. Segundo dia: Caixa de Memória. Terceiro dia: Rota de Volta à Origem.

Pré-requisitos: Caderno de anotação exclusivo para a oficina.

Sobre Ya Ling Peng: Trabalha como atriz, diretora e dramaturga. Começou sua carreira no teatro em 1981 fundando a companhia Teatro Círculo-Quadrado. De 1988 a 1991, Ya-Ling Peng estudou atuação em Londres com o Animate Theatre, London School of Mime and Movement e fez parte da companhia teatral Tragic Carpet. Em 1993, fundou o primeiro grupo de teatro para idosos de Taiwan, Modern Form Theatre Group. Em 1995, fundou Uhan Shii Theatre Group, em Taipei. Ya-Ling também ajudou as cidades Kau-Sheion, Shin-Chong e Shin-Jeou a começarem seus próprios teatros comunitários e foi diretora de seus primeiros espetáculos. Também trabalhou com vários grupos teatrais profissionais. Ya-Ling organizou dois festivais em Taiwan em colaboração ao Magdalena Project.



OFICINA 6 – O CORPO: TERRITÓRIO E FRONTEIRA 
Com: VIOLETA LUNA (México/EUA) 
Ministrado em: Espanhol com tradução para Português 
De 24 a 26/07, de 9h às 13h. 
A oficina está dirigida a estudantes e profissionais de arte, da performance, do vídeo, do teatro ou da dança e a interessados em propostas parateatrais. As participantes utilizarão seus corpos como território de criação e desenvolverão ações a partir de suas complexidades pessoais de memória, identidade e sentido individual e social de raça, gênero e sexualidade. Alguns dos temas abordados na oficina serão: O Corpo (exercícios práticos de presença e energia interna); O Espaço (relação com o entorno, intervenção de espaços públicos e privados); O Tempo (real, ficcional e ritual); A Ação (criação in situ, reação, estímulos reais e fictícios, interação com o público e manipulação do acaso); Práticas de ação, utilizando objetos comuns. Dirigido a artistas de performance, atores, bailarinos, videoartistas, artistas visuais e/ou estudantes. 

Pré-requisitos: As participantes devem ter alguma experiência em treinamento corporal e conhecimento sobre a performance arte. Enviar carta de interesse em participar da oficina e breve currículo. 

Sobre Violeta Luna: Atriz, performer e ativista. Explora em seu trabalho a relação entre o teatro, a performance e o compromisso social. Trabalhando em um espaço multidimensional que facilita o cruzamento das fronteiras estéticas e conceituais, Luna utiliza seu corpo como território para a problematização, o questionamento e o comentário relacionado com os fenômenos sociais e políticos. Nascida na Cidade de México, Violeta é licenciada em Interpretação Teatral pelo Centro Universitário de Teatro (CUT), UNAM e na Casa del Teatro. Tem apresentado seu trabalho e ministrado oficinas e cursos em diferentes países da América Latina e Europa, assim como em Ruanda, Egito, Nova Zelândia, Japão, Estados Unidos e Canadá. Atualmente é bolsista da Creative Capital e National Association of Latino Arts and Cultures (NALAC). É membro do The Magdalena Project: International Network of Women in Contemporary Theatre e artista associada dos coletivos de performance La Pocha Nostra e Secos & Mojados, com sede em São Francisco, Califórnia. Entre seus trabalhos mais importantes, destacam-se: “Réquiem para una tierra perdida”, “Frida”, “NK603”, “Apuntes sobre la Frontera” e uma série de colaborações com o grupo La Pocha Nostra.
www.violetaluna.com

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA OFICINAS ATÉ DIA 30/06 
Veja abaixo as opções de PASSAPORTE para integrar o encontro e festival SOLOS FÉRTEIS e participar de oficinas, mesas redondas e ter livre entrada para os espetáculos.

PASSAPORTE 1 – LOCAL 
Valor: R$ 800,00 (oitocentos reais) 
Inclui:
• CREDENCIAL com livre entrada e prioridade de acesso em todas as atividades e espetáculos do festival, de 23 a 29 de julho;
• TRANSLADO durante as atividades relacionadas ao festival nos horários estabelecidos pela programação;
• CERTIFICADO de participação;
• ALIMENTAÇÃO (almoço, jantar e festa de encerramento – bebidas não inclusas);
• WORKSHOP residente com artista internacional com carga horária de 12 horas/aula, com intercâmbio de resultados ao final da semana. Seu propósito é que as participantes possam levar consigo um abundante material para seus futuros trabalhos, além de possíveis novas conexão de trabalho.

OBSERVAÇÃO: traslados fora do circuito oficial do festival serão de responsabilidade de cada participante.

PASSAPORTE 2 – NACIONAL OU INTERNACIONAL
Valor: R$ 1.610,00 (mil seiscentos e dez reais) 
Inclui:
• HOSPEDAGEM com café da manhã;
• TRADUÇÃO nas oficinas e fóruns;
• CREDENCIAL com livre entrada e prioridade de acesso em todas as atividades e espetáculos do festival, de 23 a 29 de julho;
• TRANSLADO durante as atividades relacionadas ao festival nos horários estabelecidos pela programação;
• CERTIFICADO de participação;
• ALIMENTAÇÃO (almoço, jantar e festa de encerramento – bebidas não inclusas);
• WORKSHOP residente com artista internacional com carga horária de 12 horas/aula, com intercâmbio de resultados ao final da semana. Seu propósito é que as participantes possam levar consigo um abundante material para seus futuros trabalhos, além de possíveis novas conexão de trabalho.

SOBRE A HOSPEDAGEM
O festival tem caráter intimista e promove grande parte da sua programação em regime de imersão para que todos os envolvidos – artistas participantes, artistas convidadas e staff do festival – passem a maior parte do tempo juntos. Assim, as atividades pedagógicas, refeições, mesas-redondas e espetáculos se tornam um espaço não somente de vitrine, mas de encontros, feedback, aprimoramento e apoio mútuo.

Partindo desse princípio e para fomentar uma maior troca multicultural com a presença de artistas de outros estados e países, o encontro oferece esta¬da em quartos duplos com café-da-manhã inclusos. Estada com check-in dia 23/07 a partir das 14h e check-out dia 30/07 até as 12h.

ATENÇÃO 
O preço promocional da hospedagem na capital deve-se à parceria entre o Instituto Divino Mestre e o SOLOS FÉRTEIS. As interessadas em se hospedar com cônjuge ou familiar, ou em quarto individual, devem comunicar a produção para saberem se há essa disponibilidade de quartos e quais são os preços praticados para estas modalidades. 

FORMAS DE PAGAMENTO
PASSAPORTE 1 – LOCAL
- À vista: R$ 800,00
- Em 2x: R$ 400,00 (primeira parcela à vista e segunda parcela até dia 10/07)

PASSAPORTE 2 – NACIONAL OU INTERNACIONAL
- À vista: R$ 1.610,00
- Em 2x: R$ 805,00 (primeira parcela à vista e segunda parcela até dia 10/07)

CONTA PARA DEPÓSITO/TRANSFERÊNCIA 
 001 Banco do Brasil 
Agência: 1230-0 / Conta Corrente: 226.225-8 
Favorecido: Teatro Mítico Olhos D’Água 
CNPJ: 38.074.274/0001-06

Preencha a FICHA DE INSCRIÇÃO, salve-a em pdf e envie em anexo juntamente com fotografia de rosto (jpeg de até 500kb) para solosferteis@gmail.com. Colocar no assunto INSCRIÇÃO OFICINA (NÚMERO DA OFICINA). Após recebido o e-mail de confirmação da vaga pela produção do festival, a participante, deverá fazer depósito, transferência ou DOC do investimento, da forma optada, na conta abaixo e enviar o comprovante de pagamento para o mesmo email e assunto. 

SOMENTE após o depósito, a vaga será preenchida e a inscrição confirmada. O pagamento deverá ser feito em até 48 horas após o recebimento do e-mail da produção para garantir a vaga.



REALIZAÇÃO
Cia. YinsPiração Poéticas Contemporâneas
SOLOS FERTEIS – The Magdalena Project – Brasil
+55 61 9 8417 8167 / 9 8402 2696
Brasília – Brasil
www.solosferteis.blogspot.com / solosferteis@gmail.com 
https://www.facebook.com/solos.ferteis
http://www.themagdalenaproject.org/en/content/solos-ferteis
https://www.facebook.com/taofilmes